A análise de dados também é comumente conhecida pelo seu termo em inglês Data Analytics. Basicamente, ela se refere ao trabalho de analisar dados a fim de extrair informações que ajudem a encontrar respostas ou guiar decisões e desenvolvimento de estratégias. Tomando como exemplo o âmbito empresarial, a análise de dados ajuda o negócio a acompanhar e mensurar a performance da empresa, a monitorar o andamento das metas, identificar e antever problemas, entre outras inúmeras possibilidades.

Um dos primeiros exemplos de análise de dados que se tem na história é o caso da enfermeira britânica Florence Nightingale. Em 1858, Florence publicou um livro que apresentava gráficos multicoloridos demonstrando a importância de medidas sanitárias para salvar as vidas dos soldados britânicos feridos em guerra. Essa atitude foi uma tentativa de mostrar aos políticos que mais mortes eram causadas por má higiene hospitalar do que por ferimentos de guerra.

Azul – Mortes por infecções hospitalares/doenças. Vermelho – Mortes por ferimentos em batalha. Preto – Mortes por outras causas

A enfermeira foi considerada pioneira na criação de representações visuais para expor números e estatísticas. Ela auxiliou o governo inglês criando relatórios médicos durante a Guerra da Crimeia.

Análise de dados nos dias de hoje

Segundo pesquisa da Forrester Consulting, realizada em 2017, 40% das empresas já aplicavam a análise de dados em atividades como vendas e marketing. Porém, até 2020, a prática cresceria, com cerca de 90% das empresas utilizando dados para extrair informações e insights.

Confirmando a crescente importância e utilização da análise de dados, o estudo global “Here and now: the need for an Analytics platform” (Aqui e agora: a necessidade de uma plataforma analítica) do SAS, líder em análises de dados, feito em 2018, mostrou que 72% das empresas obtém insights relevantes ao analisar seus dados; e 60% disseram que se tornaram mais inovadoras ao adotar ferramentas analíticas em suas estratégias.

Alguns dos benefícios apontados no uso de plataformas de análise de dados são:

%

Menor tempo gasto na preparação das informações

%

Tomadas de decisões mais inteligentes e confiáveis

%

Menor tempo na geração de insights

De acordo com o estudo da ASG Technologies em 2020, sobre o uso de dados nas organizações realizado anualmente, muitas empresas implementam processos e ferramentas básicas de gerenciamento de dados, mas poucas amadurecem.

“Sem um inventário de dados, 4 em cada 10 organizações não sabem quais dados possuem. Além disso, apenas metade (52%) das organizações atualmente praticam governança de dados, o que significa que elas não possuem o uso e modelagem dos dados sob controle”, disse Paulo Padrão, Vice-Presidente Sênior & General Manager LATAM da ASG Technologies.

Isto é, os negócios necessitam de boas práticas para conseguir administrar esses dados, compartilhá-los e extrair valor deles, com a certeza de que são confiáveis e acessíveis. Segundo os entrevistados, não há mais dúvidas sobre a importância dos dados.

E tendo em vista essa realidade, se destacam a democratização e a alfabetização de dados, pois são necessárias para conseguir aproveitar o valor dos dados. Ainda segundo o estudo da ASG Technologies, essas são duas áreas em que as empresas não estão progredindo de maneira rápida.

A democratização dos dados ainda está na fase inicial, pois em muitos lugares o departamento de TI continua sendo o principal no uso dos dados. Menos de um quarto (23%) dos entrevistados disseram que os de fora da área de tecnologia exploram os recursos dos dados para obter informações. Sobre a alfabetização de dados, menos de 40% dos entrevistados acreditam que apenas metade de sua equipe possui as habilidades necessárias para fazer uso dos dados.

“Os dados são os ativos mais valiosos e regulamentados da maioria das organizações. Apesar disso, muitas empresas ainda têm um entendimento incipiente em relação à origem e ao grau de confiança de seus dados”.

Paulo Padrão

Vice-Presidente Sênior & General Manager LATAM da ASG Technologies

Análise de dados nas empresas brasileiras

Estudos comprovam que a Análise de Dados tem aumentado o lucro das empresas brasileiras, que são líderes na inserção da análise em sua gestão.

Segundo o estudo “Infobrief – Dados como a nova água: a importância de investir em pipelines de dados e análises“, realizada entre fevereiro e março de 2020, as empresas brasileiras que investiram em análise de dados tiveram um aumento de 21% em suas receitas. O estudo ouviu 1,2 mil líderes de negócios em 11 países.

As empresas brasileiras também identificaram melhorias de 20% no lucro, 16% na eficiência operacional e de 24% na retenção de funcionários. As melhorias mais relatadas como resultado dos investimentos feitos para o gerenciamento e análise de dados foi de: 

%

Lucro

%

Número de novos produtos e ofertas de serviços

%

Satisfação e fidelidade do cliente

Ainda segundo o estudo, as empresas brasileiras possuem um escore médio de 52,47 – maior pontuação – na pesquisa que avalia como organizações investem na criação de recursos de análises de dados e ferramentas de distribuição.

Os brasileiros aparecem à frente dos indianos (47,39), norte-americanos (46,52), australianos (42,39) e britânicos (40,80), e ficam 17 pontos à frente dos franceses, piores colocados (34,93). Os critérios de avaliação foram em relação as quatro áreas do pipeline de dados: identificação, coleta, transformação e análise de dados corporativos, em uma escala de 0 a 100.

 

Transformação digital nas empresas

Transformação digital é um termo que se refere à adoção da tecnologia nos processos corporativos promovendo uma mudança organizacional. O uso de instrumentos e plataformas mais modernas, integrando os setores e processos da empresa, aprimora a rotina de trabalho e as atividades dos colaboradores.

A utilização de mídias sociais, plataformas de CRM para registrar os dados e informações dos clientes, e o uso de ferramentas como o Google Analytics, Search Console e Trends são só algumas das mudanças advindas da transformação digital. De um lado, há a troca de sistemas e maquinários antigos por novos, por sistemas atualizados. Do outro, há uma mudança da cultura organizacional da empresa, pois todos precisarão trabalhar em conjunto, a fim de contribuir com as melhorias.

Com a tecnologia aprimorando estratégias e operações, as empresas conseguem ser mais produtivas e assertivas, adquirindo vantagem competitiva. É importante ter em mente que a implementação de tecnologias não é o fim, e sim o meio para conseguir atingir objetivos maiores.

Exemplos de mudanças propostas pela Transformação Digital
  • Os processos do negócio passam a ser informatizados e automatizados, através de recursos como plataformas e sistemas que integrem o online com offline;
  • Atividades que eram manuais, como o preenchimento de planilhas e registro de dados, agora podem ser coletadas automaticamente e ficam salvas digitalmente, podendo ser acessadas de qualquer lugar a qualquer hora;
  • O relacionamento com o cliente muda, o tornando mais próximo devido ao investimento em canais de comunicação e o acompanhamento frequente. Se torna possível conhecer as demandas do público e aumentar a satisfação do cliente.

Ter metodologias de gestão, como a Inteligência de Negócio, e métricas e indicadores para poder mensurar a evolução e rendimento da equipe, facilitam na elaboração de estratégias e objetivos que estejam de acordo com a realidade e capacidade da empresa. As informações sobre seus clientes se tornam mais acessíveis e você se torna capaz de acompanhar os dados financeiros.

Avaliação da Etapa

Para seguirmos melhorando o nosso conteúdo, gostaríamos de saber a sua opinião sobre esta etapa da jornada.

Avaliação - Contextualização